Fotografia

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ser Mulher Simples Assim

Ser Mulher Simples Assim

Otimismo versus pessimismo

20181112_231955.jpg

Hoje em dia é tão dificil arranjar amigos bem dispostos. Estamos rodeados de gente mal humorada,  irritada, que passam a vida a reclamar alguma coisa. Ufa, que desperdicio de energia. Uma coisa é alguém que está mesmo com um problema e precisa de ajuda ou de desabafar, outra coisa, completamente diferente, é passar os dias inteiros a reclamar, a criticar, a apontar o dedo ao outro, a lamentar-se....É demais. Devia até ser proibido deixar estas pessoas andarem por aí a aborrecer e a cansar os outros que estão de bem com a vida!!!!

Anda tudo tão ocupado que se esquecem de olhar para o lado e ver a quantidade de coisas boas que têm na vida. Esquecemo-nos sobretudo de agradecer o que temos, e o que temos é tanto.

Temos de parar, para poder usufruir e sentir e aproveitar o momento. Porque a vida é feita de momentos e não de coisas. E são esses momentos que serão lembrados e levaremos connosco.

Quantas vezes passamos num sitio que nunca reparamos e que no dia que tomarmos mais atenção ou consciência desse sitio, pensamos: olha que bonito, nunca tinha reparado neste pormenor. Verdade? E isto é o quê? Falta de tempo? Também. Mas a falta de tempo não nos tira a visão e a percepção daquilo que temos. E temos tão mais do que tanta gente. E quanto mais temos mais reclamamos certo?

Mas se ao contrário,  tomarmos consciência do que temos de bom, aproveitar e agradecer, tornamo-nos até mais leves, mais animados, mais bem dispostos. E essa leveza faz com que vejamos as coisas de outra forma, com outra alegria.

20181113_224113.jpg

Li algures há já muito tempo que o maior tesouro está escondido dentro de nós  e que o homem procura procura e nunca acha porque se recusa a olhar para dentro de si.

O melhor mesmo é ter à nossa volta pessoas de bem com a vida que usufruem da nossa companhia com alegria e boa disposição, positivas e que encaram os problemas com leveza, pois como alguém uma vez disse: se o problema não tem solução não vale a pena nos cansarmos, se o problema tiver solução também nao vale a pena perder muito tempo com ele pois tudo ficará resolvido.

Já chega de gente mal disposta, cheias de pessimismo que não vêm a luz ao fundo do tunel. Abram um sorriso, abram os braços e levantem a cabeça do chão para apreciarem o que vos rodeia e aproveitem o que o vosso dia vos dá de bom, e agradeçam.

eu.jpg

Simples Assim!

 

Review de livros

 

livro.jpg

Quem é que já leu algum livro de Raúl Minha'alma? E o que acharam?

Acabei de ler o livro "Larga quem não te agarra". Bem, ler, é como quem diz....não foi bem uma leitura. Foi um ler aqui e ali. Tem um registo muito idêntico ao escritor Pedro Chagas Freitas.Não é daquelas leituras que se fazem a correr, não. Vai-se lendo um excerto aqui outro ali. Até porque há excertos que nada têm a ver connosco, com os quais não nos identificamos.

Parece-me que cada vez mais há uma tendência para este tipo de livros. Não são de todo da minha preferência. Confesso que este comprei tendo em conta o titulo. Sim o titulo chamou a minha atenção num momento em que era mesmo isso que eu precisava de fazer: Largar quem não me agarra, soltar o que não me prende. Penso que é o que se chama de "destralhar" tanto de coisas como de pessoas.

Há quem diga que quando chegamos aos 40 relativizamos muita coisa, deixamos de nos preocupar com muita coisa, dando importância ao que realmente vale a pena. Passei realmente por essa fase, tive de largar quem já não me agarrava.Se foi fácil? Não , não foi. Mas a partir do momento que o fiz, senti alivio. Senti acima de tudo, que tinha dado um passo em frente. Um passo importante para continuar o meu caminho mais leve e mais feliz. Neste momento estou a destralhar de coisas acumuladas aqui em casa e que nos tiram energia. Para quê guardar? É uma ilusão, tira-nos espaço e dá-nos trabalho. Não usas? Dá a alguém ou deita fora. Este é o lema.

" Os dias correm demasiado depressa para perderes tempo com o que não queres. Larga quem não te agarra, solta o que não te prende."

Mais uma vez, o tempo está aqui presente, e a falta que tenho dele ajudou-me a tomar decisões, a deixar para trás pessoas e coisas que em nada melhoravam a minha vida, pelo contrário atrasavam-na. Há que tomar consciência que a vida anda, gira e roda, e nem todos os que pertenceram ao passado nos acompanharão no futuro, há que deixá-los ir. O mesmo acontece com as coisas que teimamos em guardar. Para quê? Ficam apenas a ganhar pó, nunca mais as utilizaremos. E ficam ali apenas pelas memórias e pela esperança de se voltarem a usar. Desenganem-se. Precisamos de tempo e de espaço para tornar a vida mais leve e mais agradável.

"Passamos os dias a viver para os outros, a ouvir o que os outros dizem, a fazer o que os outros pedem, e nós, para nós, calamo-nos.(...) E a vida passa, sentimos que o tempo corre como nunca, e nós, que nem tempo temos para reparar no quão rápido o tempo passa, vamos tropeçando nos sonhos que nos caem ao chão. (...)São bocados de nós que caem e ficam, são bocados de destino que deixam de existir e sorrisos que não chegam a acontecer. Não te deixes abafar pela vida, respira sonhando."

"Andamos cheios de pressa para fazer e sem tempo para ser. Corremos para receber, andamos para dar. Não somos nada mas temos tudo. Falamos mais do que ouvimos. Escrevemos mais do que lemos. Passamos mais tempo no caminho do que no lugar. Lutamos pouco por coisa muita, choramos muito por coisa pouca. E tudo isto porque queremos ter para ser, em vez de ser para ter. Não somos o que temos, somos o que somos. E enquanto não percebermos isso, vamos continuar a dar a nossa vida e a desperdiçar o nosso tempo com coisas banais, supérfluas e efémeras.É hora de parar, sentar e desfrutar de um café com uma boa companhia.(...)Parar só por parar, e respirar fundo. A vida também é isto.(...)O tempo corre?Então deixemo-lo correr. Dêmos vida á calma e deixemos a pressa morrer."

Simples Assim!!

O nosso país desejado por tantos

portugal.jpg

 

Serei só eu a achar que esta fase que estamos a passar no país, este frenesim de estrangeiros a descobrirem o nosso paraiso, pode passar a ser uma coisa não assim tão boa daqui a uns tempos???? Ir a Lisboa já é um caos enorme, tanto em quantidade de pessoas como de aumento de preços. Não sou contra a vinda de ninguém para o nosso país, pelo contrário, adoro receber, adoro fazer amizades com pessoas externas ao nosso país, adoro conhecer a cultura daqueles que nos visitam e adoro falar tanto em inglês como em francês. E por um lado, sim, abre-nos portas a muita coisa, mas por outro lado, vejo-os a terem uma vida otima com as suas reformas bem maiores do que as nossas, os privilégios que o nosso governo lhes dá, e nós todos, portugueses bons anfitriôes que somos a ajudá-los em tudo o que precisam, e quando digo tudo é mesmo tudo, desde as voltinhas a dar para seguros, compra de casa, moveis, carros, luz, água....etc, etc, etc. Contam connosco para tudo, e para tudo estamos sempre dispostos a ajudar. Nestes últimos tempos, contudo, fui confrontada com exigências que me parecem despropositadas, e que ao sermos com eles um pouco menos flexiveis aparecem-nos algumas caras feias e até com reações menos próprias porque acham que é nosso dever. Ora não é de todo nosso dever servi-los. E últimamente, para ser honesta, tenho pensado imenso nos nossos emigrantes que foram para outros países á procura de uma vida melhor tendo para isso servido os habitantes desses países da melhor forma que puderam: sempre com simpatia e humildade, o que vejo agora, são eles, estrangeiros, a virem para cá, mas com uma situação que se mantém: continuamos a servi-los. Não é que seja de todo mau, pois por aí talvez até haja mais emprego e quem sabe melhor pagamento. O que me aflige, é o facto de virem para cá já com uma certeza de que os vamos servir, e isso dá cabo dos meus nervos!! O que me aflige é sentir que daqui a uns tempos, e por acharem que são melhores do que nós nos destruam a cultura tão nossa, havendo uma mistura de mundos tão dispares que um dia nos vamos perguntar : o que é feito do nosso país. Tenho um certo receio que em vez de melhorarmos apenas melhoremos a vida deles ficando a nossa cada vez pior não podendo fazer nem ter uma vida melhor, pois os nossos salários são incompativeis com as reformas deles, e os nossos preços vão disparar cada vez mais pensando apenas neles e no dinheiro que podem ganhar através deles.

Claro que como em tudo há excepções. Conheci um casal que comprou casa, pensa em vir para cá viver, e que querem conhecer e viver a nossa cultura. Pessoas educadas que agradeceram toda a ajuda e disponibilidade que lhes foram dadas, que se esforçaram para entender como tudo funciona e não nos puseram a nós a fazer o que a eles compete. O mais engraçado é que querem sair do seu país porque o mesmo já não é deles. E para lá caminhamos nós. Confesso que isto me tem deixado realmente preocupada. Vejo estrangeiros a recuperarem edificios para os quais não teriamos dinheiro para comprar quanto mais para os recuperar. Pode ser bom....mas não será mau também? Não deveriamos nós ter oportunidade de o fazer? De ter ajudas, sim, darem ajuda ao povo português a reconstruir, a construir de novo, a recuperar o que é nosso, a ter até melhores salários, mais incentivos, do que dar a quem vem de fora privilégios e beneficios??? Não entendo esta politica. Acho que deviamos apostar, sim, no turismo, cada vez mais, pois sabemos que essa é uma área que mexe imenso com a nossa economia, temos um país lindo e queremos é mostrá-lo e partilhá-lo. Mas turismo é uma coisa, vê-los a querer um pedacinho da nossa terra é outra completamente diferente.

Espero que não me interpretem mal. Estou apenas um pouco assustada com tudo isto, e não tenho a certeza de que isto seja assim tão bom como todos acham neste momento!

Simples Assim!!

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D